Colesterol alto: quais os riscos para a saúde?

Apesar de ser uma gordura fundamental para o organismo, o colesterol alto pode causar sérias consequências à saúde.

O que é colesterol?

O colesterol é um tipo de gordura. Na maioria das vezes, essa substância é apresentada como algo ruim para o organismo, mas ela também possui funções muito importantes. Conheça alguns de seus benefícios:

  • Participação fundamental na construção e manutenção das membranas celulares.
  • Participação na fabricação da bile — e o único meio significativo pelo qual o colesterol pode ser excretado é pelos ácidos biliares.
  • É importante no metabolismo das vitaminas lipossolúveis A, D, E e K.
  • Responsável pela síntese de hormônios esteroides.
  • Precursor de todas as classes de hormônios esteroides, glicocorticoides (cortisol), mineralocorticoides (aldosterona) e hormônios sexuais.

Contudo, mesmo sendo fundamental para o nosso organismo, o excesso de colesterol pode ser muito prejudicial, pois é o fator de risco para diversas doenças cardiovasculares.

Tipos de colesterol

Para entender melhor os níveis de colesterol e quando ele se torna prejudicial ao organismo, é importante saber que existem vários tipos de colesterol no sangue e o conjunto de todos eles é o que se denomina “Colesterol Total”.

 

Trata-se de uma gordura e, como as gorduras não se misturam com líquidos, o colesterol não se mistura com sangue. Por isso precisa unir-se a certas proteínas para cumprir as suas funções, formando as chamadas lipoproteínas, que deslocam-se por todo o organismo na corrente sanguínea, sob duas formas principais, o HDL e o LDL.

Colesterol bom e ruim: aprenda a diferenciá-los

Há diferença entre o colesterol bom e o ruim e são poucas as pessoas que se preocupam em saber qual é ela. Geralmente, a concentração está em não permitir que a taxa de colesterol ruim (LDL) se eleve, devido aos malefícios que isso pode gerar ao organismo. Por vezes, dá-se pouca importância ao cuidado em saber como manter o colesterol bom (HDL) no nível recomendado e benéfico para a saúde.

O LDL colesterol significa “Low Density Lipoprotein”, ou seja, lipoproteína de baixa densidade. Sua característica é conter mais gordura e menos proteína. A função do LDL é transportar o colesterol para o tecido periférico.

Já HDL colesterol, significa “High Density Lipoprotein”, lipoproteína de alta densidade. Este possui mais proteína e menos gordura e sua função é transportar o colesterol dos tecidos para o fígado e, em seguida, excretá-lo.

Percebe-se que eles têm funções bem distintas no organismo. Em resumo, a do HDL é remover o LDL das artérias, evitando, assim, que haja acúmulo de gordura nos vasos e que o fluxo sanguíneo seja comprometido por isso.

Em um organismo considerado saudável, o colesterol bom se sobressai ao ruim. Mas há casos em que pode ocorrer um descompasso, mesmo que a concentração de HDL esteja adequada. Há essa desarmonia quando o corpo não consegue, por si só, livrar-se das gorduras como deve.

Colesterol bom e ruim: níveis ideais

Para evitar problemas futuros e doenças que podem estar relacionadas à hipercolesterolemia (colesterol alto), é importante verificar frequentemente os níveis de colesterol no sangue e sempre cuidar da alimentação. O ideal é que, no resultado do exame, o valor do colesterol total esteja abaixo de 200 mg/dL de sangue, já o HDL (bom colesterol) deve estar acima de 35 mg/dL de sangue e o LDL (mau colesterol) deve ficar abaixo de 130 mg/dL de sangue.

A partir da dosagem no sangue, o médico especialista verifica se os níveis de colesterol estão mais altos do que deveriam e quais medidas devem ser tomadas. Se os valores do colesterol total estiverem elevados porque o HDL está elevado, o quadro clínico não é ruim. Mas se for o LDL que estiver elevando o colesterol total, a situação se torna preocupante.

O colesterol é medido a partir de um exame de sangue chamado estudo do colesterol ou lipidograma. Para realizar o exame, o paciente deve ficar em jejum de 12 a 14 horas.

Colesterol alto: fatores de risco

A principal consequência do colesterol alto é o aumento considerável do risco de doenças cardiovasculares, como:

  • aterosclerose;
  • infarto;
  • insuficiência cardíaca;
  • pressão alta.

O principal fator de risco para o alto nível de colesterol no sangue é a herança genética. Ou seja, algumas famílias possuem predisposição para hipercolesterolemia. Além disso, existem diversos fatores do nosso dia a dia que interferem nos altos índices de colesterol no sangue, como obesidade, sobrepeso, alimentação inadequada em quantidade e qualidade, alta ingestão de gorduras ou açúcares, sedentarismo, estresse e alterações metabólicas.

Dieta para quem tem colesterol alto

A alimentação saudável é um fator determinante para o controle do colesterol e deve ser composta por frutas, verduras, legumes, carnes magras, frango sem a pele, peixes, cereais integrais, feijão, ervilha, lentilha, leite desnatado e derivados que possuam baixo teor de gordura.

Além disso, ingerir 50 g de abacate, duas unidades de nozes e uma unidade de castanha-do-pará é uma boa opção no combate ao colesterol, pois possuem gorduras monoinsaturadas, vitaminas e minerais.

Para combater o colesterol alto é preciso fazer algumas substituições no dia a dia e largar alguns hábitos pouco saudáveis. Confira algumas dicas:

  • Reduza o consumo de carne vermelha e opte por frango ou peixe.
  • Troque os queijos amarelos pelos brancos.
  • Aumente o consumo de fibras solúveis, encontradas na aveia, no feijão e em frutas, como a maçã.
  • Aposte em alimentos ricos em antioxidantes, como as frutas cítricas e as folhas verde-escuras.
  • Exercite-se todos os dias, no mínimo durante meia hora.
  • Abandone o hábito de fumar, pois o cigarro lesa a parede dos vasos sanguíneos.
  • Share post